Governança fiscal: a estratégia para o crescimento dos negócios
BLOG
Fiscal

Governança fiscal: a estratégia para o crescimento dos negócios

30 de outubro de 2019

A governança fiscal possui um papel cada vez mais relevante dentro das organizações. Além de prevenir problemas e garantir a conformidade, boas práticas de governança fiscal ainda servem como suporte para o crescimento do negócio.

Com tantas obrigações que devem ser observadas pelas empresas, é fundamental dar uma atenção especial para todos os procedimentos tributários. Essa é a forma mais eficiente de evitar problemas com a fiscalização e gerar informações precisas que podem ser usadas na tomada de decisão pelos gestores.

Mas com tanta atenção concentrada nessa prática comercial, é importante compreender: o que é exatamente a governança fiscal e o que a torna tão imperativa para o crescimento de uma empresa?

O que é governança fiscal?

A governança fiscal é um termo que remete ao conjunto de procedimentos executados com a finalidade de coordenar, controlar e revisar os procedimentos tributários. Com base nisso, a organização se torna apta a cumprir com todas suas obrigações legais, reduzindo os riscos fiscais – além de atender aos interesses de acionistas, investidores e demais partes interessadas.

Para atingir o seu objetivo, a governança fiscal requer a estruturação de processos de gerenciamento personalizados para cada organização. Todos os profissionais que trabalham com esses dados devem saber como agir na manipulação e gerenciamento das informações para aumentar a confiabilidade e a veracidade dos relatórios e das demonstrações fiscais.

O impacto da governança fiscal em uma empresa

Apesar de parecer apenas um procedimento burocrático, a governança fiscal gera vários benefícios para uma organização – contribuindo para o crescimento da empresa. Veja quais são os principais pontos que destacam a importância desse processo:

Conformidade tributária

Manter a organização em dia com todas suas obrigações fiscais é um verdadeiro desafio, não é mesmo? A governança tributária pode ajudar a organizar os processos de modo que todas as exigências legais sejam observadas – sem atrasos ou esquecimentos.

Redução de riscos

Qualquer pessoa jurídica está sujeita a diversos riscos no decorrer de suas atividades. E muitas delas estão relacionadas ao cumprimento de todas as suas exigências legais. Com boas práticas de governança fiscal, você elimina os riscos relacionados às obrigações tributárias e contábeis.

Confiança para os investidores e demais partes interessadas

Você deseja transmitir confiança para investidores, parceiros, fornecedores e outras partes interessadas no seu negócio? Manter a conformidade fiscal é um ótimo passo para colocar isso em prática – e a governança fiscal pode ajudá-lo nessa missão.

Tomada de decisão

Além de contribuir com o compliance fiscal, as boas práticas de governança também se encarregam de tornar todas as informações financeiras e fiscais mais precisas. E isso é ótimo para manter os controles internos sempre atualizados e embasar a tomada de decisão dos gestores.

Como otimizar os processos para promover o crescimento do negócio?

As boas práticas de governança fiscal impactarão positivamente o desempenho corporativo de longo prazo – mas as empresas devem projetar e implementar aquelas que cumpram os requisitos legais e atendem às suas necessidades particulares.

Aqui estão algumas práticas de governança fiscal que você pode explorar para promover o crescimento do seu negócio:

1. Crie uma equipe responsável

Inicie montando uma equipe responsável pelas boas práticas de governança fiscal – que pode incluir você mesmo, e outros profissionais com experiência relevante para os negócios, qualificados e competentes, com ética e integridade fortes.

Após isso, faça um esforço para mostrar a essa equipe a importância da governança fiscal e promova o envolvimento de todos para conquistar os objetivos traçados.

2. Defina funções e responsabilidades

Depois de montada a equipe responsável, você pode definir responsabilidades entre os profissionais – incluindo os membros da equipe e demais colaboradores que lidam diretamente com as rotinas fiscais.

Quem é responsável por definir as diretrizes de governança fiscal? Como serão realizados procedimentos de auditoria interna? E como cada um dos profissionais que lidam com as informações financeiras e tributárias devem agir no desenvolvimento dos seus trabalhos?

3. Enfatize a integridade e a ética

É essencial uma cultura geral de integridade nos negócios e de respeito e conformidade com leis e políticas sem medo de recriminação. Afinal, mais do que boas práticas de governança fiscal, você certamente deseja trabalhar com profissionais que prezam pela retidão no desenvolvimento das suas atividades, não é?

4. Faça um gerenciamento de riscos eficaz

As empresas devem identificar e avaliar regularmente os riscos que enfrentam – incluindo riscos financeiros, operacionais, de reputação, ambientais, relacionados ao setor e legais.

Ocorreu uma mudança na legislação de um imposto que a sua empresa precisa recolher? Ou então surgiu uma nova obrigação acessória que deve ser entregue mensalmente? Esses são exemplos de situações que podem criar novos riscos relacionados à área fiscal que devem ser monitorados de perto.

5. Avalie constantemente o desempenho

Muitas organizações fazem um esforço inicial para definir as práticas de governança fiscal mas depois deixam essa rotina de lado – sem fazer um monitoramento constante. Porém, essa falta de atenção pode colocar tudo a perder.

É fundamental avaliar constantemente se todas as obrigações estão sendo cumpridas em dia e se todas as diretrizes estão sendo respeitadas. Afinal, basta um pequeno descuido para gerar riscos desnecessários para organização – levando a penalidades como multas e juros.

6. Adote um software para otimizar os processos

Existe um detalhe que muitos gestores não entendem: por melhor que seja o planejamento relacionado à governança fiscal, é preciso que a execução também tenha qualidade. Afinal, na teoria parece muito fácil evitar os riscos fiscais – mas nem sempre é simples lidar com toda a complexidade das obrigações no Brasil.

Se os profissionais das áreas financeira e fiscal estiverem sobrecarregados ou não alcançarem a eficiência necessária, a empresa pode continuar enfrentando problemas – por mais que tenha uma série de diretrizes de governança fiscal traçadas.

A melhor forma de evitar esses problemas relacionados à execução do trabalho é usando soluções digitais que facilitam esse processo. Hoje em dia é possível encontrar softwares que automatizam a geração das obrigações fiscais e aumentam a eficiência operacional das equipes fiscais, tributárias e contábeis, em total conformidade com a legislação vigente.

Você já conhecia a importância da governança fiscal para o crescimento da sua organização? Quer entender melhor como uma plataforma digital pode ajudá-lo? Então conheça o SOFICOM, uma solução fiscal certificada pela SAP.



 
Compartilhar

Você também pode gostar:





VER TODOS OS POSTS