Liderança feminina nas empresas: Importância e desafios em cargos mais altos
BLOG
Gestão Empresarial

Liderança feminina nas empresas: Entenda a importância e os desafios das mulheres em cargos mais altos

19 de março de 2022

Ainda que estejamos longe de uma realidade mais justa e competitiva para as mulheres no ambiente de trabalho, podemos levar em consideração algumas mudanças e avanços no que tange o tema “liderança feminina nas empresas” no Brasil. Isso porque, de ano em ano, o assunto vem sendo mais debatido, e o melhor, cada vez mais posto em prática em algumas organizações. 

Só que para alcançarmos, minimamente, um cenário parecido com o que já existe em países europeus, por exemplo, ainda há um longo caminho a ser percorrido. Isso depende de um processo de conscientização nas empresas e os setores de RH têm um papel fundamental nisso. 

Sendo assim, hoje nós preparamos um post exclusivo para abordar o tema “liderança feminina nas empresas”, buscando trazer mais dados sobre a realidade, expectativas, vantagens dessa estratégia e, claro, dicas práticas de como sua organização pode contribuir para tal mudança. 

Vamos conferir? Então, boa leitura! 

Por que é tão importante debater sobre liderança feminina nas empresas? 

Estamos lidando com um cenário repleto de fatores históricos, culturais e sociais, que precisam ser desconstruídos com o tempo. 

Para se ter uma ideia sobre essa desigualdade de direitos e oportunidades, uma pesquisa realizada em 2019 apontou que somente 3% das mulheres no Brasil ocupam cargos de liderança significativos dentro das organizações. 

E ainda dentro dessa realidade, as mulheres negras são ainda mais raras em cargos de diretoria e de gestão no país. Logo, debater sobre liderança feminina nas empresas hoje não se trata unicamente de abrir mais espaços para mulheres dentro das organizações, mas também de uma mudança completa, tanto cultural, como estrutural, de toda a sociedade. 

Quais as vantagens de uma liderança feminina? 

Muito além de proporcionar mais oportunidades e igualdade entre os gêneros, os números também apontam para vantagens significativas para as empresas que têm apostado na liderança feminina em seus negócios. 

Para comprovar isso, por exemplo, há um estudo recente da FGV que mostra que organizações com mulheres ocupando cargos de diretoria e de gestão apresentam níveis de desempenho ESG muito superiores a outras empresas. 

Para se ter uma ideia melhor do percentual obtido na pesquisa, os resultados apontaram que, das empresas com liderança feminina, 52% têm notas ESG elevadas, enquanto esse número caiu para 48% em empresas lideradas totalmente por homens. 

Fora isso, a nível global, um levantamento da ONU diz que empresas com mulheres na liderança chegam a ter 20% a mais de resultados positivos nos seus negócios. 

Quais as características de líderes mulheres? 

Evidentemente que não se tratam de regras ou padrões únicos. No entanto, especialistas no tema acreditam que certos atributos atrelados ao sexo feminino proporcionem vantagens competitivas às mulheres em cargos de liderança sobre os homens, como:

  • autoconfiança;  
  • poder de influência;  
  • determinação;  
  • empatia;  
  • controle emocional;  
  • facilidade de comunicação;  
  • segurança.  

Quais os desafios das mulheres na liderança de empresas? 

Historicamente, as mulheres nunca ocuparam cargos de liderança a níveis de comparação com os homens. Essa evolução tem se dado de forma gradativa e um tanto quanto atrasada, visto não só a questão social, como também pelas vantagens competitivas que destacamos acima. 

O fato é que, mesmo com os avanços, os desafios para tornar o cenário de trabalho mais equilibrado e justo entre homens e mulheres, são muito grandes ainda. 

Afinal, além de serem minorias em cargos de liderança, é muito comum ainda encararmos desigualdades salariais entre os gêneros, responsabilidades diferentes e espaços de fala com relevâncias distintas. Além disso, a chegada da recente pandemia da Covid também trouxe impactos negativos para o cenário da liderança feminina nas empresas, conforme apontado em pesquisas recentes

E como sua empresa pode contribuir para este avanço?

Como bem destacado, o tema engloba mudanças culturais e sociais de toda a população, mas iniciativas empresariais têm um papel fundamental nesse contexto. 

Estamos falando da atuação e da adaptação de gestores e de setores de RH sobre o assunto e em como as empresas passam a enxergar as mulheres em seus quadros de funcionários. 

Dessa forma, separamos algumas dicas essenciais a seguir.

Quebrar paradigmas culturais é o primeiro passo para a mudança 

É imprescindível que as empresas mudem culturalmente e quebrem tradições e paradigmas dentro de suas estruturas profissionais. 

E isso não se limita unicamente a abrir oportunidades às mulheres. Pelo contrário! É encarar os processos seletivos ou promocionais de uma forma mais justa, honesta e com valores que não dizem respeito ao sexo, gênero, crédulo etc. 

Além disso, essa desconstrução precisa englobar todos na organização e não somente a gestão e os recursos humanos.  

É preciso desbravar o tema e falar também de diversidade 

Quando debatemos sobre liderança feminina nas empresas, inevitavelmente precisamos englobar uma série de outros grupos intrínsecos a tal categoria. 

Afinal, dentro de “mulheres” existe uma infinidade de grupos, que infelizmente são ainda menos representados em cargos de gestão nas organizações. 

Estamos falando, por exemplo, de mulheres negras, trans, cisgênero, pertencentes a grupos minoritários, entre outras. 

Logo, tratar do assunto como prioridade e estratégia dentro de uma organização se torna fundamental também levar em consideração toda essa diversidade e inclusão de outros grupos com ainda menos representação e notoriedade em cargos de liderança. 

Promover mais igualdade dentro da empresa também é fator crucial 

Como bem vimos, a liderança feminina nas empresas não se destaca apenas pelo número inferior de mulheres ocupando cargos em relação aos homens, mas também pela desigualdade de direitos, como salários mais baixos, responsabilidades diferentes, entre outros. 

Logo, se torna imprescindível levar todos esses fatores em consideração e promover mais igualdade no ambiente de trabalho, independentemente do sexo ou gênero de quem ocupa o cargo naquele momento. 

Em resumo, esse é um pequeno panorama sobre a liderança feminina nas empresas, a importância de levar esse debate para frente e, claro, como cada empresa e profissional tem um papel fundamental para essa mudança gradativa. 

E aí, curtiu o post sobre liderança feminina nas empresas? Acha que o tema precisa ser mais ampliado e debatido no país? Então, aproveite para compartilhar em suas redes sociais e exponha suas opiniões e visões sobre o assunto. 



 
Compartilhar

Você também pode gostar:





VER TODOS OS POSTS