Orçado x realizado: a diferença que traz rentabilidade e sustentabilidade às empresas
BLOG
Gestão Empresarial

Orçado x realizado: a diferença que traz rentabilidade e sustentabilidade às empresas

13 de outubro de 2021

Existe no meio corporativo uma importante relação, chamada comumente de orçado x realizado. Ela faz parte da gestão orçamentária e ajuda a guiar os gestores frente às melhores práticas e também auxilia na tomada de decisão.

Na verdade, o conceito aborda o princípio básico do planejamento estratégico (e por isso também é conhecido como planejado x realizado), fazendo relação com os custos dos projetos e ações que levam a um objetivo final.

É essencial para a gestão empresarial, pois avalia os custos reais do que foi proposto e permite regulagens ao longo do caminho, visando sustentabilidade das atividades e também a saúde financeira da empresa como um todo.

Entenda um pouco mais sobre o tema e como o apoio da tecnologia faz toda a diferença na avaliação dos dados.

O que é o orçado x realizado na prática?

Todo planejamento envolve diversas ações e consequentemente, custos diversos. Os valores envolvem variantes de todo o tipo: desde despesas com a equipe (salários e benefícios) até compra de materiais relacionados com a produção em si.

Nesse ponto, o orçamento se faz extremamente importante, pois é o ponto em que tudo será precificado, conforme a verba e disponibilidade. De nada adianta idealizar um projeto incrível, se não houver recursos para a execução ou se o total prejudicar outras áreas da companhia.

Dessa forma, essa etapa é decisiva para acertar o que for preciso e alinhar as expectativas com todos os envolvidos. Já na parte do planejamento, é preciso prever interferências macro, como ajustes de inflação e impostos, por exemplo.

No entanto, nós sabemos que nem sempre as coisas funcionam da maneira ideal e que imprevistos e mudanças podem acontecer ao longo do caminho. 

Por isso, o realizado deve ser apurado conforme as atividades acontecem, entendendo se é preciso rever algum fator ou mudar os rumos das entregas. 

Para ajudar nessa missão, existe o suporte das áreas administrativas e financeiras da organização, que estabelecem o forecast, ou seja: um orçamento revisado, que usa as premissas de previsão, análise e revisão para avaliar o que foi orçado x realizado.

Ele tem a função de reformular o que for necessário e dar clareza ao setor de projetos, permitindo flexibilidade e resiliência.

A tecnologia pode ajudar no orçado x realizado

Buscar o equilíbrio e o mínimo de conflito entre os dois conceitos é algo que todos os executivos desejam e, até mesmo, precisam.

Chegar à excelência envolve trabalho investigativo, análise e o máximo de informações sobre todo o cenário. E aqui, estamos falando do ambiente interno e externo.

Dentre as vantagens, estão a conferência constante de metas, uma cultura baseada em dados e indicadores produtivos muito mais condizentes com a realidade, o mercado e a fase a qual a empresa se encontra.

Porém, sabemos que o tempo de conferências manuais e uso de planilhas já ficou para trás e que o volume de dados hoje não se compara a como era antigamente.

Sendo assim, é vital para as empresas de todos os portes usarem sistemas de automação empresarial, que permitem computar as referências, organizando-as e gerando importantes insights. 

A aplicação de forecast através do ERP

Os ERPs são ferramentas de gestão que integram todos os setores da companhia e funcionam como um cérebro, servindo como base e inteligência de todos os processos.

Nesse sentido, ele também ajuda na manutenção entre orçado x realizado, pois ajuda na questão da previsibilidade. 

Por meio dele, é possível prever demandas futuras com base estatística, levando em conta padrões anteriores. Inclusive, calcular probabilidades de conversão de vendas. 

Além disso, os projetos são beneficiados pela capacidade de antecipar custos e receitas posteriores. A inteligência artificial atua na dedução de quanto será possível gastar, se haverá necessidade de empréstimos ou se os orçamentos de longo prazo precisarão de adaptações ou intervenções.

A gestão de estoque, então, é outro ponto que merece destaque. As inúmeras funcionalidades e a capacidade de ajustar a necessidade de armazenamento x custos faz com que surpresas desagradáveis sejam evitadas.

Ou mesmo a parte de insights sobre a necessidade de recrutamento para desempenho de determinadas tarefas, baseada em histórico e dados de produtividade, também fazem parte dos benefícios de aderir à inovação.

Em resumo, um ERP e os APIs a ele associados, conforme a necessidade do modelo de negócio, permitem ter uma percepção totalmente focada em dados, eficiência e sustentabilidade corporativa. 

Em alguns casos, ele ajuda a antever até mesmo fatores externos, como os econômicos que citamos anteriormente – o que pode impactar positiva ou negativamente no andamento estratégico.

A tomada de decisão chega a um nível muito mais maduro e categórico, beneficiando a todos.

Escolha um bom parceiro tecnológico

Por fim, a necessidade de ter o controle de todas essas minúcias também reflete na busca por opções que sejam acessíveis, viáveis e ao mesmo tempo, consigam atender a todas as exigências com qualidade e segurança.

A Cast group é especialista em projetos de tecnologia e inovação e conta com diversas soluções de TI end-to-end, que envolvem automação, ERP, CRM, FSW, Fábrica de Software, análise de dados e muito mais.

Ajudamos centenas de empresas de todos os portes a conciliar as tarefas do dia a dia com agilidade e a melhor performance.

Conheça o nosso trabalho e entenda porque somos referência de parceria no setor público brasileiro e também no privado.



 
Compartilhar

Você também pode gostar:





VER TODOS OS POSTS