Os próximos passos do mundo: qual será o "novo normal" após a pandemia?
BLOG
Gestão Empresarial

Os próximos passos do mundo: qual será o “novo normal” após a pandemia?

10 de julho de 2020

O coronavírus trouxe à tona um cenário que só tínhamos visto antes em filmes e séries de ficção científica. Ninguém estava prevendo que um novo vírus surgisse e causasse tanto transtorno na sociedade. Porém, isso aconteceu e agora caminhamos para um novo normal após a pandemia. 

A necessidade de passar um período em isolamento social, para evitar a disseminação descontrolada do coronavírus, tem feito com que as pessoas e empresas percebam o quanto podem ser reinventar. A adoção do home office é um exemplo disso, já que muitas companhias, que antes tinham preconceito com a prática, agora veêm o método com bons olhos.

Principais passos do mundo no novo normal após a pandemia

Siga a leitura e saiba mais sobre o novo normal após a pandemia! Explicaremos os próximos passos que o mundo deve dar nos próximos tempos.

Crescimento do home office

A tendência é que o home office cresça em até 30% no novo normal após a pandemia, conforme aponta um estudo chamado “Tendências de Marketing e Tecnologia 2020: Humanidade Redefinida e os Novos Negócios”, desenvolvido pelo coordenador do MBA em Marketing e Inteligência de Negócios Digitais da Fundação Getúlio Vargas (FGV), André Miceli.

Cloud (computação em nuvem) e as plataformas de comunicação digital ganharam força na pandemia. Agora, as empresas sabem que trabalhar a distância é possível e que isso traz resultados positivos para a companhia e também para os seus colaboradores.

As pessoas produzem mais e melhor em um ambiente confortável, sem ter que perder horas no transporte público, por exemplo. Logo, a descentralização das empresas é uma das principais tendências para o “novo normal”.

Aumento da confiança e da autonomia

Aquele velho modelo de trabalho em que as pessoas precisam bater ponto e cumprir horário tende a desaparecer ou pelo menos diminuir no novo normal. Com os funcionários trabalhando em casa, haverá um aumento da confiança e da autonomia de cada indivíduo.

Com os softwares de gestão e computação em nuvem, não há motivos para que setores como o marketing, contabilidade, RH, entre outros; trabalhem em um horário fixo. Cada colaborador poderá trabalhar conforme a sua disponibilidade e em uma rotina flexível.

Os funcionários serão cobrados e remunerados pelo que eles produzem e não pela quantidade de horas trabalhadas.

Atuação em propósitos da marca

A cultura organizacional das empresas precisará ser fortalecida, tendo em vista que os clientes passarão a cobrar mais uma postura estratégica voltada para os propósitos da marca. A pandemia do coronavírus deixou todos mais sensíveis em relação ao bem-estar social, por exemplo.

O estudo desenvolvido pela FGV aponta que 55% dos consumidores acreditam que as empresas devem agir em causas ligadas ao seu propósito. Ou seja, se uma companhia tiver como diretriz a redução da desigualdade, deverá atuar em projetos filantrópicos, patrocinar instituições de caridade etc.

Desenvolvimento da tecnologia voltada para a saúde

No novo normal após a pandemia, o setor de tecnologia voltado para a saúde deve se fortalecer ainda mais. As clínicas, hospitais e gestores públicos do segmento perceberam o quanto é importante ter recursos tecnológicos para que as pessoas possam manter os cuidados com elas mesmas, em qualquer tipo de situação.

Exemplo disso são as consultas online, recomendadas para situações que não são urgentes. A disponibilização de receitas de medicamentos e atestados médicos disponibilizados pela internet é algo que será cada vez mais comum.

O mapeamento de dados dos cidadãos, utilizando recursos como os gêmeos digitais também deverá crescer, com mais tecnologias do tipo sendo desenvolvidas.

Rotina mais tecnológica

A tecnologia estará cada vez mais presente após a pandemia, em todos os momentos da nossa rotina. As videoconferências, por exemplo, se tornaram comuns e agora são muito utilizadas em reuniões de trabalho, aulas a distância em escolas e faculdades, etc.

A pesquisa por voz, que já estava em alta antes mesmo da pandemia, também desponta com muito mais intensidade. O mesmo pode ser dito da inteligência artificial e da internet das coisas, que também devem se desenvolver com mais agilidade nos próximos tempos.

A China, por exemplo, que foi o primeiro país a sofrer com as consequências do coronavírus, desenvolveu um robô para as redes de hotelaria. Um recurso de inteligência artificial deixa o café da manhã na porta dos quartos, sem que os hóspedes precisem ter muito contato com outras pessoas. Mais inovações desse tipo devem surgir muito em breve.

Preparo para lidar com cenários improváveis

Ninguém nunca imaginou que passaríamos por uma situação como a que estamos vivenciando agora. Por isso, a maioria das empresas não tinha um plano de ação para adotar em situações de emergência, uma vez que as grandes pandemias da história aconteceram em séculos passados. Atualmente, há a necessidade de saber lidar com cenários improváveis e de se adaptarem a imprevistos e situações externas que afetam diretamente a rotina empresarial.

É preciso sempre pensar a frente, para que se possa ter mais competitividade, agindo no momento em que as situações urgentes acontecem.

No pós pandemia, nada mais será como antes, isso é um fato. Porém, essa realidade não significa que o futuro não possa ser melhor! Estamos caminhando para uma nova era, em que a tecnologia deve sim imperar. Cada vez mais humanizada, proporcionando mais qualidade de vida e facilidades para todos.

Por conta disso, convém para as empresas, intensificar os investimentos em tecnologia. Saiba mais em nosso artigo que mostra o ERP como ponte para a jornada rumo à transformação digital.



Tags: PANDEMIA
Compartilhar

Você também pode gostar:





VER TODOS OS POSTS