Planejamento agrícola: 5 passos para aplicar o quanto antes
BLOG
Gestão Empresarial

Planejamento agrícola: 5 passos para aplicar o quanto antes

10 de dezembro de 2021

O planejamento agrícola é de suma importância para a subsistência e boa gestão de um empreendimento rural. É ele quem vai garantir que os recursos sejam bem aproveitados, gerando produtividade e preparando melhor o negócio para imprevistos que possam ocorrer. 

No entanto, falta clareza para a maior parte dos agricultores, que na maioria das vezes não seguem um plano consistente e tomam suas decisões segundo direcionamentos intuitivos, ou empíricos, ao invés de aplicá-las de forma embasada em dados ou elaborada tecnicamente.

É preciso observar alguns pontos que são importantes para a melhor condução das tarefas e que proporcionam ajustes coerentes quando preciso, gerando mais lucratividade e aproveitamento dos recursos.

Como fazer um planejamento agrícola?

Primeiramente, é necessário entender como essa atitude, aparentemente simples, pode ser um divisor de águas para os negócios agrícolas. Afinal, ele serve para organizar e guiar as estratégias que envolvem desde a produção, até a distribuição da mercadoria.

Entenda quais são as etapas básicas que um plano deve ter e como ele pode auxiliar na sustentabilidade e crescimento da área rural como um todo.

  1. Estude o mercado 

O setor de agropecuária é regulado sobretudo pelo mercado, ou seja: de acordo com a lei da oferta e procura. E são diversos os fatores que influenciam a queda ou a alta dos preços, como clima, política, inflação ou a própria concorrência entre os produtores, por exemplo.

Atentar-se às variações que acontecem na sociedade, sobretudo na própria área de atuação, evita surpresas desagradáveis e confere certa previsibilidade.

Dessa forma, os prejuízos são minimizados e os obstáculos podem ser contornados com mais facilidade. 

Para ir atrás dessas informações, conte com portais de notícia em geral e também os específicos ao seu segmento, em revistas voltadas ao agronegócio, em blogs de gestão empresarial ou em sites de institutos confiáveis, como é o caso do CEPEA (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicadam, da Esalq / USP).

Ao criar o hábito de estudar todas as frentes possíveis, você entenderá cada vez mais sobre as especificidades do seu ramo e poderá tomar decisões com base em tendências ou fatos e não apenas na intuição.

  1. Reúna o máximo de informação possível 

Na mesma linha de pensamento, é obrigatório entender todos os dados que envolvem o andamento das atividades internas. Ou seja: o que for crucial para tornar a colheita viável, sua subsistência e também a parte final, de escoamento dos produtos.

Para tanto, os pilares do planejamento agrícola devem ser: 

  • O que: quais serão os tipos de culturas produzidas e em quais áreas;
  • Como: sistemas de irrigação, fontes de verba para viabilização, tipo de plantio, insumos em geral;
  • Quanto: considerar demanda, de acordo com o mercado, para definir o volume a ser plantado e então quantificar fertilizantes, defensivos, mão de obra e outras variantes;
  • Quando: equilíbrio entre o que se espera vender e o quanto será gasto, considerando todas as influências externas;

Logo, para uma fração de mercado tão volátil quanto a de cultivo, que engloba muitos detalhes diferentes e que se comunicam, é imprescindível que tudo esteja detalhado e registrado.

Isso porque, provavelmente, em algum momento, as informações deverão ser revisitadas, entendendo qual era o cenário no momento em que tudo foi planejado e os possíveis ajustes a serem feitos.

  1. Analise o que foi planejado e o realizado

Outro ponto que pode ser crítico é o do setor financeiro. Para que toda e qualquer empresa prospere, é primordial que haja estabilidade entre o que é gasto e o que houve de lucro.

É bom ressaltar que existe uma diferença entre o orçamento planejado e o realizado, sendo que o primeiro cruza as informações mercadológicas e do próprio negócio, enquanto o segundo capta as informações reais da produção, analisando o grau de sucesso real que os esforços geraram.

Registrar absolutamente todas as despesas e investimentos fará com que, ao final da cadeia, você possa traçar um paralelo entre o quão efetivo foi o trabalho, fazendo ajustes que podem envolver inovação, redução de custos ou controle de gastos.

  1. Faça acompanhamento constante

Mas de nada adianta se planejar para ter mais efetividade, se os resultados não são aferidos e não se aprende com eles. Tão importante quanto estruturar toda a estratégia e andamento da área rural, é monitorar para que os resultados sejam cada vez melhores e em todos os sentidos.

O controle deve ser feito diariamente, observando cada acerto ou falha, aprendendo com eles e potencializando os investimentos no que realmente traz crescimento. 

Com isso em mente, as técnicas passam a ficar gradativamente mais assertivas e rentáveis e a evolução passa a ser natural e constante.

  1. Conte com o apoio da tecnologia

Porém, você deve se perguntar: como controlar a infinidade de informações que são geradas no dia a dia, em todos os momentos da operação e as tornar úteis e compreensíveis?

Bem, atualmente, nós vivemos a fase da Agricultura 4.0, migrando para 5.0. Isso significa dizer que os processos estão muito mais automatizados e que a tecnologia já faz (ou deve fazer) parte da rotina.

Para acompanhar a rapidez que transformará o campo, não basta mais trabalhar com os dados em planilhas ou em anotações, pois esses recursos não permitem controlar as alterações no momento em que acontecem ou a descentralização faz com que as referências se percam.

Sendo assim, contar com um sistema de gestão empresarial que agrupa todas as ações e faz com que se conectem, criando relações inteligentes e que ajudam não só a monitorar, como geram relatórios que suportam as melhores tomadas de decisões, é algo inevitável para quem deseja manter-se competitivo no meio.

É por meio dele, com apoio de outras ferramentas tecnológicas voltadas para agricultura de precisão, por exemplo, que a administração passa a ser muito mais focada em eficiência e resultados e existe viabilidade para realização de um planejamento agrícola completo e de sucesso.

A Cast Group, empresa com mais de 30 anos de experiência no mercado de inovação e gestão, conta com soluções voltadas especificamente ao agronegócio, para empresas de todos os portes.

Conheça nosso trabalho e veja como ajudamos algumas das maiores organizações do setor a progredir ainda mais!



 
Compartilhar

Você também pode gostar:





VER TODOS OS POSTS