Segurança da informação: sua empresa está preparada para evitar a perda de dados?
BLOG
Gestão Empresarial

Segurança da informação: sua empresa está preparada para evitar a perda de dados?

26 de fevereiro de 2020

A sua empresa está preparada para evitar a perda de dados? Essa é uma das perguntas mais ouvidas quando se fala em segurança da informação, tendo em vista que esse é um medo que muitas companhias têm.

A boa notícia é que, com investimentos em tecnologia, podem ser realizadas ações que minimizam esses problemas, tornando a organização menos vulnerável a ataques de diversas naturezas.

Recentemente, o Facebook, que é uma gigante da tecnologia, foi alvo de um escândalo, quando seu banco de dados, com IDs, números de telefone e nomes reais de alguns usuários foram expostos. Isso pode ser visto em uma reportagem do Olhar Digital.

Se até uma empresa do porte do Facebook teve dados vazados, companhias do mesmo tamanho ou de portes menores também podem passar por esse problema. Por isso, para evitar o vazamento ou a perda de dados, algumas medidas devem ser tomadas.

Dicas de segurança da informação para evitar a perda de dados na empresa

Tendo em vista os riscos que a perda de dados representa, apresentaremos, a seguir, algumas dicas de boas práticas que podem ser adotadas na sua empresa. Confira!

1. Defina uma política de segurança da informação

É preciso que sejam definidas políticas de segurança da informação, para evitar que os dados da empresa sejam acessados por pessoas não autorizadas. Essas diretrizes podem ser elaboradas pelo time de TI, acompanhados de outros profissionais, que devem sugerir e dar opiniões.

Uma medida simples de ser adotada é instalar antivírus em todos os computadores e instruir os colaboradores a fazerem o mesmo em seus celulares e outros dispositivos. Assim, caso eles os conectem no wi-fi da companhia, também não disseminarão vírus e malwares.

Treinamentos de boas práticas também devem ser realizados para os colaboradores com certa frequência. Além disso, o uso de ferramentas e programas criptografados e com diferentes níveis de acesso é essencial.

2. Crie uma cultura voltada para a segurança

Além da política de segurança, é preciso que uma cultura seja criada, fazendo vistas a essa vertente. A ideia é não apenas impor regras, mas sim fazer com que as pessoas entendam que determinados cuidados devem ser parte do seu dia a dia operacional.

Todos os colaboradores devem saber, por exemplo, sobre a importância de proteger bem as suas senhas, fazer uma navegação segura na internet e sempre deslogar dos softwares quando não estiverem mais os utilizando.

Para que essa cultura seja criada, uma boa ideia é enviar boletins informativos, fazer eventos internos, utilizar os canais de comunicação da empresa para explicar esse tipo de informação etc.

3. Estimule que a equipe reporte as situações suspeitas

Muitos casos de perda de dados podem ser evitados se o problema que os causa for diagnosticado no início. Por isso, a equipe de segurança da informação e outros setores da empresa devem ser estimulados a reportar qualquer tipo de situação suspeita.

A ideia é que seja feito o registro de qualquer suspeita, para uma rápida investigação, logo em seguida. Isso evita que ataques sejam feitos ou então que situações mais graves aconteçam.

4. Faça simulações de ataques

A equipe de TI pode simular ataques e verificar como os colaboradores se portam para proteger os dados. Essas simulações servem para  dar diretrizes aos funcionários, caso um incidente real aconteça.

Nas situações fictícias, o gestor de TI também pode verificar como os colaboradores seguem os protocolos de segurança para se proteger desse tipo de situação.

5. Verifique se vale a pena contratar uma empresa especializada

Em alguns casos, quando a equipe de TI é muito ocupada ou não domina todos os pontos da LGPD, que falaremos em seguida, pode valer a pena contratar uma empresa especializada.

As consultorias podem fazer uma vistoria de todos os processos da empresa e avaliar quais são os riscos na segurança da informação e, assim, evitar que eles ocasionem a perda de dados. Certamente é um investimento que pode valer muito a pena.

6. Adeque-se à LGPD

A Lei Geral de Proteção de  Dados (LGPD) entra em vigor em 2020 e aplicará multas severas às empresas que não a cumprirem, podendo chegar a R$ 50 milhões ou 2% do faturamento total da companhia.

Porém, a adequação às diretrizes da LGPD não servem apenas para evitar a aplicação das multas, mas também para garantir a segurança da informação e impossibilitar a perda de dados.

Para cumprir a LGPD, as empresas devem rastrear todas as fontes pelas quais elas recebem dados e informações. Tudo isso precisa ser sempre mapeado e revisitado com frequência, para evitar que gargalos deixem informações vazarem ou invasores roubarem dados da empresa.

Para que a LGPD se cumpra e se evite a perda de dados, portanto, é preciso que o SAP ou outro ERP seja corretamente utilizado.

É necessário que a equipe de TI, junto a uma consultoria especializada, desenvolva meios para  que os softwares da companhia sejam adaptados para que as informações não se percam e nem sejam acessadas por pessoas indevidas.

Em resumo, podemos dizer que a LGPD afetará todas as empresas brasileiras. Por isso, estar por dentro de todas as conformidades exigidas por essa legislação é tão importante.

Desenvolvemos uma webinar, apresentada pelo nosso consultor Diogo Guedes, que explicou detalhes sobre como a LGPD tem um papel relevante para a segurança da informação e cuidados com  a perda de dados.

Se você não pode acompanhar o evento ao vivo, assista agora mesmo e fique bem informado sobre essa novidade tão relevante para  todas as organizações.



 
Compartilhar

Você também pode gostar:





VER TODOS OS POSTS