Veja como o investimento em tecnologia pode salvar as indústrias brasileiras
BLOG

Veja como o investimento em tecnologia pode salvar as indústrias brasileiras

30 de abril de 2021

O baixo investimento em tecnologia no Brasil visando a indústria 4.0 pode ser explicado por diversos fatores. No entanto, a desinformação é basicamente o que nos impede de ter companhias muito mais modernas, competitivas e rentáveis.

Embora a capacidade produtiva se torne muito maior, ágil e completa em todos os fatores, integrar os processos digitais ainda é visto com desdém ou preconceito por grande parte dos executivos e heads de operação.

A inovação é vista como custosa e as possibilidades que envolvem a indústria 4.0 vistas como desnecessárias ou supervalorizadas. 

Basicamente, os líderes que ainda mantém esse pensamento não estão alinhados com o cenário de intensa transformação digital que nos atingiu nos últimos anos e foi acelerada, principalmente, pela crise da pandemia do novo coronavírus.

Conceitos como Inteligência Artificial, computação em nuvem, internet das coisas e robótica serão partes mandatórias em um futuro bem próximo para todo o mercado, e qualquer empresa que não se adequar à essa realidade não só perderá market share, mas corre sério risco de ter de fechar suas portas.

Entenda como o investimento em tecnologia para a indústria 4.0 é o único caminho possível e suas vantagens na prática.

Como justificar o investimento em tecnologia na indústria 4.0

Nós sabemos que a melhor (e talvez única) forma de barrar a desinformação é o conhecimento. Isto posto, ter exemplos palpáveis de como um investimento tecnológico se paga em pouco tempo talvez seja o necessário para que você compreenda algumas vantagens na prática.

Inicialmente, é bom citarmos que na contramão das maiores potências mundiais, o maquinário brasileiro é bem antigo e data quase duas décadas – com equipamentos que datam em média 17 anos.

Ainda que você tenha em mente que o setor fabril é mais tradicional e conservador, não precisamos ir longe na comparação: como era o seu celular há 17 anos? Houve mudanças? Por mais irônico que possa parecer, nesse tempo ‘relativamente remoto’, o celular servia basicamente para realizar ligações. E só.

Logo, é preciso entender que vivemos em uma sociedade muito mais moderna, rigorosa e que demanda por tomadas de decisões rápidas. 

Em um mercado competitivo como o nosso e tantas pessoas para atender, com necessidades distintas, se sua empresa não oferecer o melhor, seu cliente simplesmente vai em busca de outra opção. Inclusive, no mundo globalizado o qual vivemos, a solução pode vir até mesmo de importações.

Veja dados sobre gestores que ultrapassaram a barreira dos achismos e se apoiaram em fatos para começar a investir em tecnologia e quais foram os ganhos.

Cases de sucesso da indústria 4.0

Segundo previsões da consultoria McKinsey, até 2025 a implementação da indústria 4.0 poderá aumentar a produtividade entre 10% e 25%, reduzindo os custos de manutenção das máquinas em até 40%.

Nessa linha de pensamento, Nelson Nakamura, diretor da Soteica do Brasil, nos lembrou que os investimentos em inovação podem de fato reduzir os custos de conservação entre 10% a 40%, diminuir o consumo energético em 25% e aumentar a produtividade em até 25%. Os dados promissores foram divulgados durante o webinar JornalCana USINA 4.0, realizado no ano passado com executivos de usinas brasileiras.

Evidentemente, todo bom gestor sabe o quanto esses índices podem impactar em um orçamento, permitindo um crescimento muito mais expressivo.

Em um artigo do site Valor Econômico, temos o case de uma empresa de confecções brasileiras, a Provest Uniformes. O investimento na modernização das fábricas foi inicialmente de R$3,5 milhões, visando automatizar cortes e implementar bolsos e botões de forma automatizada.

Já o investimento em dados coletados, armazenados em nuvem e integrados com ERP e sistema de business intelligence, além de implementação de wi-fi na fábrica toda, e um sistema de radiofrequência nos produtos (para monitoramento seguro dos funcionários) foi de cerca de R$ 300 mil. 

Assim, os executivos passaram a ter visão mais abrangente do negócio, com acesso dos dados que envolviam todo o processo produtivo em seus celulares, atualizados em tempo real. 

Devido à crise, o mercado de uniformes recuou 36% em 2020, mas a companhia projetou ampliar seu faturamento de R$35 milhões para R$45 milhões.

Necessidade de modernização na indústria brasileira

De acordo com dados da International Federation of Robotics, a automação industrial está, conforme dissemos, cada vez mais acelerada. Dentre os países desenvolvidos, a média de robôs para cada 10.000 funcionários ficou em 113. Porém, no Brasil, essa mesma proporção cai para 14.

Para ilustrar, a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) criou uma linha de crédito super atrativa em 2019, visando incentivar investimentos em tecnologia na indústria 4.0 (em organizações com receita anual de até R$300 milhões). Até o final de 2020, apenas 18 projetos haviam sido consolidados, com gasto total representando R$12,5 milhões – ainda há cerca de R$200 milhões disponíveis.

Em contrapartida, uma pesquisa feita pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostrou que 54% das indústrias que investiram pelo menos em três tecnologias de inovação no ano passado tiveram lucro igual ou maior que antes da pandemia. Entre os mais citados, estão Big Data, impressão em 3D e sistemas de simulação computadorizada.

Além disso, o estudo revela que o desemprego não é consequência direta da automação, visto que 30% das empresas investidoras amplificaram o quadro de colaboradores em relação ao período anterior.

A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), estima que a migração para o 4.0 reduzirá, no mínimo, R$ 73 bilhões por ano os custos industriais.

Logo, é preciso desmistificar o pensamento e começar a agir para garantir participação frente a outras companhias. Nesse sentido, a CNI também fez um estudo extremamente relevante com corporações de todos os portes (nacionais e internacionais), falando sobre o cenário atual desse mercado em termos de tecnologia. 

Ainda, o material apresenta soluções e alternativas para implementação de melhores práticas. O e-book “A difusão das tecnologias da Indústria 4.0 nas empresas brasileiras” está disponível para download gratuito no site do Senai – PR.

Invista em um bom sistema de ERP

Sendo assim, fica evidente a necessidade de modernização das indústrias no Brasil, que apesar de conhecer o conceito 4.0 há quase 10 anos, estima-se que menos de 2% está preparada para implementá-lo (dados ABDI).

Antes de mais nada, é preciso entender que não importa se a sua empresa não é a maior do segmento: ela precisa investir em um ótimo sistema de gestão empresarial.

E não se preocupe, pois os investimentos serão voltados de acordo com a necessidade e como já demonstramos, se justificam.

Conte com a Cast Group e nossos mais de 30 anos de expertise no que há de mais moderno em ERP e módulos de gestão para ter uma visão mais completa e simplificada de tudo o que envolve a sua produção.

Nós já participamos do processo de modernização de mais de 450 clientes e podemos afirmar que a contratação foi decisiva para a evolução destes. 

Conheça o nosso trabalho e entre em contato conosco, rumo à modernização e competitividade da sua companhia.



 
Compartilhar

Você também pode gostar:





VER TODOS OS POSTS