Quando a transformação digital termina?
BLOG
Inovação

Quando a transformação digital termina?

22 de janeiro de 2020

Você já parou para pensar em quando a transformação digital termina? Muitos empresários se fazem esse questionamento, tendo em vista que o assunto já vem sendo falado há algum tempo. 

Porém, é preciso que você tenha em mente que a transformação digital é um processo cíclico, que nunca terá um fim. Não existe e nunca existirá uma data que será o último dia desse fenômeno. Ao ler este artigo, você entenderá o porquê isso acontece. Continue conosco e confira!

A transformação digital termina? Entenda o porquê de a resposta ser não!

De acordo com o cientista George Westerman, do MIT, em um artigo publicado pela revista CIO, “a transformação digital marca um repensar radical de como uma organização usa tecnologia, pessoas e processos para mudar fundamentalmente o desempenho dos negócios”.

Dentro desse contexto, não podemos dizer que a transformação digital termina, uma vez que não é algo que tem início, meio e fim. Não se trata apenas do uso de tecnologia na empresa, mas sim de uma mudança cultural.

Quando falamos em processos culturais, estamos falando de algo que é cíclico, como propõe o pesquisador José Clemente Pozenato. Esse pensador acredita que a cultura passa de geração em geração, com os valores mantendo-se enraizados, mas se modificando e evoluindo.

É o mesmo que acontece com a transformação digital, que é um processo contínuo, que deve estar no DNA das empresas. Vamos para um exemplo prático?

Imagine uma empresa tradicional, até poucos anos atrás. As companhias tinham uma estrutura verticalizada, em um formato de pirâmide, em que no ápice estavam os diretores e nos andares inferiores os colaboradores.

Hoje, com a transformação digital, todos ocupam um mesmo patamar! As ferramentas de comunicação digital aproximaram gestores e funcionários, que não precisam nem mesmo ocupar o mesmo espaço físico na empresa. Prova disso é que o home office foi regulamentado na última Reforma Trabalhista e que os coworkings não param de crescer.

Tudo isso fez com que a cultura organizacional mudasse, por conta da transformação digital. Porém, conforme novas tecnologias forem surgindo, as pessoas evoluindo e novas práticas realizadas, as empresas continuarão se transformando. O movimento que esse fenômeno tem é de um ciclo e não de uma linha reta.

Quais são as tendências da transformação digital? Veja no que as empresas devem investir!

Você já sabe que não podemos dizer que a transformação digital termina, porém, como ela se trata de um ciclo, ficar de olho nas próximas tendências é importante!

Na sequência, apresentaremos algumas novidades tecnológicas para as empresas nos próximos anos. Acompanhe e garanta que a sua companhia saia na frente da concorrência!

Armazenamento de dados em nuvem

O armazenamento de dados em nuvem é uma das maiores tendências da transformação digital. Com essas soluções, é possível que o trabalho seja feito de qualquer local, sem que os colaboradores tenham um escritório na empresa, como explicamos.

Além disso, o atendimento aos clientes também é muito mais eficiente. Veja um banco, por exemplo, com o internet banking em nuvem, qualquer usuário pode baixar um app em seu celular e consultar o seu saldo, fazer transações bancárias etc. Não é mais preciso ir até uma agência física.

Em resumo, a computação em nuvem pode ser utilizada para possibilitar uma implementação mais rápida e com custos iniciais menores. Além disso, faz com que os ciclos de inovação sejam atualizados com mais frequência e todos os níveis de escalabilidade sejam aproveitados para que o negócio cresça.

Inteligência artificial

A inteligência artificial já é muito utilizada, principalmente no atendimento ao cliente, por meio de ferramentas de chatbot. Com esses recursos, robôs simulam uma conversa, como se fossem um ser humano. De tal maneira, dúvidas comuns podem ser tiradas com muita facilidade e agilidade.

Porém, uma tendência dentro dessa área são os comandos por voz. Já é possível utilizar assistentes virtuais em smartphones para agendar compromissos e fazer pesquisas na internet, por exemplo. No entanto, a tendência é que isso passe a ser mais explorado pelas empresas.

Muito em breve, em vez de escrever para preencher um formulário, será comum ditá-lo para um sistema, por exemplo. Isso acontecerá não apenas na relação entre empresa e clientes, mas também em outras, como a com fornecedores, quando a companhia faz uma cotação de compras, por exemplo.

Internet das coisas

Objetos conectados fazem parte do nosso dia a dia e são uma fonte inesgotável de dados. Isso possibilita colocar o cliente no centro das atenções, algo que é considerado como um dos pilares da transformação digital.

Os relógios ou pulseiras inteligentes, por exemplo, monitoram passos, batimentos cardíacos e uma infinidade de dados biométricos que são muito úteis para a indústria esportiva ou farmacêutica.

Porém, a internet das coisas não se limita a isso! Nas empresas que seguem a cultura da transformação digital, podem ser conectadas as máquinas, carros, portas de acesso e muito mais.

Uma indústria metalúrgica, por exemplo, que coleta dados de suas máquinas, pode perceber qual é a melhor maneira de utilizar uma matéria-prima para que se reduza o desperdício. Assim, além de gastar menos dinheiro, a companhia também poderá demonstrar ao público que é sustentável e que preserva os recursos naturais.

Agora, quando alguém perguntar se a transformação digital termina, você já sabe que a resposta para essa pergunta é não! Isso porque, como explicamos, esse processo é cultural e, portanto, cíclico. Para a sua empresa ter relevância no mercado competitivo de hoje, a inovação precisa ser constante, sem data para acabar.

Uma das novidades para os próximos anos são os gêmeos digitais. Leia agora o nosso artigo sobre esse tema.



 
Compartilhar

Você também pode gostar:





VER TODOS OS POSTS