Gestão da diversidade dentro das empresas
BLOG
Recursos Humanos

Gestão da diversidade dentro das empresas

16 de abril de 2020

A diversidade dentro das empresas é um tema de grande importância para as organizações, pois potencializa suas vantagens competitivas a partir das divergências originadas nas diferenças entre os indivíduos.

São elas que podem fazer surgir novas perspectivas para as estratégias organizacionais. Entretanto, esse é um desafio para muitos gestores, pois a diversidade equivale a abertura de um espaço para manifestações variadas — além de novas.

A boa notícia é que o enfrentamento desse desafio está ocorrendo neste momento e os bons gestores adotam práticas de gestão que são inovadoras e criativas, com o objetivo de propiciar um excelente local de trabalho para todos.

Neste artigo, você verá quais são as melhores ações a favor da diversidade dentro das empresas e o que significa esse conjunto de diferenças existentes entre os grupos profissionais. Acompanhe!

A realidade sobre a diversidade dentro das empresas

Não precisa ser especialista para saber que a nossa sociedade é heterogênea, ou seja, possui uma série de indivíduos e grupos com diferentes características físicas, sociais, econômicas e religiosas, dentre outras.

Muitas dessas diferenças são, na verdade, desigualdades. É o que acontece com o modo como homens e mulheres são tratados no mundo corporativo. Elas têm menos participação nas posições de liderança, além de salários proporcionalmente menores.

O relatório Woman in Business 2019, feito pela consultoria Grant Thornton, mostra que a presença feminina em cargos de liderança — no caso, a de pelo menos uma mulher — saltou de 61% em 2018 para 93% em 2019.

Só para você ter uma ideia, a pesquisa considerou como liderança qualquer atuação em nível gerencial. Ela constatou ainda que a presença feminina é maior em setores como o Financeiro e o de Recursos Humanos.

E sobre as diferenças salariais, uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) comparou o rendimento médio de profissionais de 25 a 49 anos. Na faixa etária mais jovem, de 25 a 29 anos, as mulheres recebem 87% do rendimento médio dos homens. Entre os profissionais de 40 a 49 anos, o percentual chega a 75%.

Os dados aqui apresentados são apenas um recorte de um cenário mais extenso que envolve outras questões como raça, orientação sexual, cidade ou país de origem, deficiências físicas, cultura e religião.

No entanto, a globalização e sua consequente internacionalização de mercados e o aumento da concorrência fazem com que as organizações adotem novos modelos de gestão, inclusive no que diz respeito à diversidade dentro das empresas.

A representatividade que se transforma em vantagem competitiva

O conceito de diversidade dentro das empresas pode ser interpretado como a representatividade da demografia. Se a sociedade é diversa, espera-se vê-la com todas as suas características dentro das empresas.

Quando as organizações abrem as suas portas para a diversidade, conseguem atingir todos os fatores de construção social já citados — algo importantíssimo para um mercado cada vez mais globalizado.

A diversidade dentro das empresas contribui para a construção de uma equipe com diversos perfis, mais rica em talentos e pronta para melhorar os resultados — impactando positivamente no sucesso da organização.

Para as empresas, a diversidade — quando é verdadeiramente praticada, valorizada e respeitada — contribui para melhorias no clima organizacional, liberando os potenciais dos colaboradores e estimulando o desenvolvimento de competências e habilidades.

Um quadro de profissionais que é diversificado acaba se tornando mais flexível e capaz de entender as necessidades da sociedade, criando estratégias precisas e desenvolvendo produtos que são bem aceitos e que geram lucro.

Se o ambiente empresarial respeita as diferenças, ele automaticamente tem uma redução na quantidade de conflitos e aumento no engajamento dos colaboradores. É o que mostra um levantamento da Harvard Business Review.

Formar uma equipe multidisciplinar, ou seja, com profissionais que possuem diversas habilidades, personalidades e conhecimentos, faz com que a organização cumpra seu papel social.

Trata-se de um investimento em representatividade que tem boa visibilidade na comunidade. Além disso, incentiva que outras corporações façam o mesmo.

A promoção da diversidade dentro das empresas

Sua empresa pode contribuir para esse cenário positivo de representatividade nas organizações e alcançar os benefícios citados no tópico anterior. Veja como:

Avaliar e mensurar a força de trabalho atual

Realize o diagnóstico do quadro de funcionários da companhia para entender como ele é composto. Reflita sobre os motivos que levaram às contratações e o que pode ser feito para aumentar a diversidade.

Trabalhar a cultura organizacional

Qual é a posição da cultura da sua empresa em relação à diversidade? Valoriza ou estimula a contratação do mesmo tipo de profissional? Faça uma análise ou pesquisa de clima para entender se há o sentimento de exclusão no ambiente corporativo.

Melhorar a comunicação interna

O apoio à diversidade não deve partir apenas dos valores da companhia, mas também dos colaboradores. O comportamento deles pode contribuir bastante para a valorização da diversidade nas empresas.

Para alcançar o engajamento de todos, é fundamental trabalhar a comunicação interna com foco no respeito às diferenças. Dependendo da situação da companhia, pode ser necessário promover treinamentos sobre conscientização.

Repensar os processos de recrutamento

Algumas atitudes levam às mesmas situações, como procurar talentos sempre oriundos das mesmas universidades, de concorrentes diretos ou de grupos limitados. Preconceitos — conscientes ou não — também atrapalham a diversidade dentro das empresas.

Nesse aspecto, a adoção de uma ferramenta de People Analytics pode diminuir bastante interferências humanas na escolha dos candidatos, pois ela focará nas hard e soft skills desejadas para selecionar o colaborador com o perfil ideal.

Estabelecer um ambiente organizacional diverso não significa contratar aleatoriamente qualquer profissional para o cumprimento da lei, como no caso das pessoas com deficiência.

Orientação sexual, raça, religião e outras questões não definem as competências e habilidades requeridas, portanto, você vai precisar de um planejamento maior para encontrar inovação, produtividade e qualidade nos futuros contratados.

Vale destacar que a questão da diversidade dentro das empresas não pode ser confundida com assistencialismo. Trata-se de uma ação em prol da evolução e dinamismo, duas características em sintonia com a atual situação do mercado.

Conforme você leu aqui, as ferramentas tecnológicas podem contribuir para a diversidade dentro das empresas. E para ver quais são as melhores práticas para profissionais de RH na transformação digital, convidamos você para ler nosso outro artigo.



 
Compartilhar

Você também pode gostar:





VER TODOS OS POSTS